11 abril, 2010

Las elecciones


Fico realmente intrigada com o poder do amanhecer. O outro dia sempre traz consigo algo mágico: o recomeçar. Meus dias têm sido uma mescla de descobertas, angústias e escolhas. Essas últimas têm me tirado o sono.
Ao optar por algo, incluir em minha vida determinado caminho, autamaticamente excluo outras possibilidades que nunca saberei se são melhores ou piores. Acertar ou errar então vira uma questão de ponto de vista. Essas são as escolhas.
As angústias vêm acompanhadas um medo sorrateiro da injustiça, do “podar” determinada parte de mim em função de algo maior. Isso me lembra a história de Prometeu, o Titã, que em nome de algo maior, se submeteu ao castigo de Zeus.
Tudo bem, nada comparado a deixar que comam o meu fígado durante 30 anos, mas meus sacrifícios diários estão aí, aliás, os de todos nós.
E finalmente as descobertas... essas estão bem próximas. Em alguns meses minha vida mudará de acordo com minhas escolhas. Se para melhor ou pior, não sei, mas eu preciso enfrentar isso.
As escolhas estão diante de mim num ponto da estrada em que a vida grita por mudanças.

2 comentários:

BETO PALAIO disse...

Linda menina, isto de acordarmos para a escolha se chama despertar (satori para o zen). Aproveite a sua oportunidade. E deixe sua escolha levar você a caminhos novos. Mas nunca deixe de escrever. Você tem a força. E o talento também... Beijos.

Luiza Castro disse...

...rs! Obrigada, Betão! Você e seu incentivo! Sempre! Beijo grande!