19 abril, 2010

A Descoberta

Não foi em nenhum dia especial, em nenhuma hora mais adequada que ela pensou, atônita, como quem chega em um beco sem saída. Refletiu sem dar-se conta de tamanha descoberta.

“A felicidade dele é chegar em casa, contar a ela como foi o seu dia, tomar um banho e jantar, delicadamente elogiando o que lhe foi preparado. Depois, assistir televisão para pegar no sono, e na cama, encontrar seus pés aquecidos”.

Isso era felicidade para ele. Tão pouco exigia da vida!
Tentou entender tamanha simplicidade, mas não conseguiu. Ela era dessas que queria. Uma busca infinda, sem estradas sinalizadas, apenas seguia.
Aquilo a incomodou profundamente. Aquela descoberta. Como lhe podia vir assim, tão sem precedentes? Era coisa de pensar menos.
Foi assim que ela inteirou-se de tamanha desmedida felicidade. Para quê mais? Lembrou-se de um poeminha que falava de casamento. Ah, a Adélia sabia das coisas!
E com aquela descoberta formigando no peito, foi preparar mais um jantar. Era noite de felicidade.

7 comentários:

Um mundo novo aos corações corajosos! disse...

Você falando em descobertas, e eu adorando em ser descoberto por você nesses acasos da internet, também.

Que bom que gostou do blog. Já que você gosta de pôr-do-sol, considere-se acompanhada para ver o sol dormir em qualquer lugar. E sempre que quiser, a porta está aberta, ou a janela só encostada.

Obrigado pela visita!

Lays disse...

Saudades, Lu!
Não sabia que vc tinha um blog, vi porque 2 leitores seus olharam meu blog pelo link que tem no seu! hehehee

Beijão!

karla disse...

Luiza, obrigada pela força, e pela visita também. Beijocas

Quézia Neves disse...

Belíssimo texto, Lu!
Estamos mesmo, muitas vezes, em busca de algo que já temos, sem nos darmos conta disso. Amo a simplicidade e estou cada vez mais convencida de que a felicidade anda coladinha com ela.
Beijinhos!

Luiza Castro disse...

Obrigada pela visita Raimundo! Eu gostei muito de seu blog =)
Lays, pois é, eu tenho um blog! ...rs! Ele estava meio abandonado, mas estou reabilitando a criatura!
Quezinha, minha flor de pitangueira, amei a sua visita!!! Uma surpresa tão boa...!!! Beijos!

Lara Amaral disse...

Belo texto, Luiza, a leitura flui... =)

Beijo e obrigada pela visita e comentário!

Boa semana.

Luiza Castro disse...

Oi Lara! Obrigada mesmo! seus textos são lindos também! Beijos e boa semana pra você também! =)