29 maio, 2010

Colheita


Quando ele diz que as coisas vão ficar bem, eu sempre acredito, pois há nele algo de tão transparente que é impossível haver outro caminho. Ele guarda consigo um amor verdadeiro e todos os dias sai a regar o meu jardim.
Com essa água derramada, brotam a esperança de dias melhores, a calma para os pensamentos intranquilos, assim como a fé renovada na vida. Não que tudo dependa dele, mas Dele, eu bem sei disso.
Não será fácil, talvez, mas a vida nunca me veio escorrendo. Sempre me veio em pedras. Então, para quê o medo? Ele só turva a vista, mina os bons sentimentos, seca a água regada.
Já chegamos tão longe, ultrapassamos tantos campos, corremos “juntos”, choramos “juntos”, sorrimos “juntos”. Mas esse “junto”, nunca foi mesmo junto. Agora sim, tiraremos as aspas.

3 comentários:

Linn Anastassakis... disse...

Luaazinha!! Fiquei muito feliz pelo seu comentário, pela novidade do teu casamento. Parabéns!
Não há o que temer Lu. Fácil nós sabemos que não é, mas é tudo uma questão de convivência, paciência, compreensão e um bocado de amor.
E, amor, é o que não falta em você.
Te desejo muita felicidade.
Um beijão Lu!!

Pedro Arcas disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Pedro Arcas disse...

Juntos, sempre juntos............